criseA Fundação Dom Cabral – FDC, e sua associada em Curitiba, JValério, especializada em gestão da empresa familiar, realizou a palestra Cenários Políticos e Econômicos no Brasil e no Mundo e sua Interferência nos Negócios, com o Professor Paulo Vicente, da FDC, na sexta-feria (29/04). A palestra marcou a abertura da segunda turma do curso de Especialização em Gestão com Ênfase em Negócios.

A aula magna introduziu o tema dos cenários, os ambientes nos quais o mundo está inserido hoje e, para onde é possível avançar nas próximas décadas dentro com uma visão geral bem mais ampliada do que os alunos estão acostumados. Essa palestra aconteceu logo no início do curso justamente para contextualizar e deixar os alunos atentos no que olhar para a carreira deles.

Próximos 15 anos serão de crise e mudanças

Paulo Vicente, projeta ciclos hegemônicos e ciclos tecnológicos para o futuro e com isso cria um futuro hipotético com uma estrutura de raciocínio e de análise sobre novos cenários:

“Vamos entrar em uma fase de crise  que irá perdurar provavelmente quinze anos. Essa crise é típica de finais de ciclos tecnológicos e com ela as pessoas vão investir em novas tecnologias. É aí que vai surgir uma segunda onda tecnológica que começa a partir de 2030”.

Justamente por este fator, o professor traz o tema para a turma de especialização, uma vez que são estes alunos que viverão toda a mudança: “É um análogo do que aconteceu cinquenta anos atrás e que durou até os anos setenta, onde você tem crises no mundo inteiro mas também tem uma revolução tecnológica sendo gestada e que eclode nas décadas de oitenta e noventa. Tivemos vários fatores como a corrida espacial, a guerra fria, a crise do petróleo e as crises historicamente forçam a inovação e renovação. A gente está vendo a mesma situação agora com guerra fria entre Estados Unidos e Rússia de novo, uma corrida espacial entre Estados Unidos e China, existe uma crise de petróleo e energias alternativas que estão brigando entre si e o próprio terrorismo e como resolver essa questão”.

 

O que vem por aí?
A crise como um todo força a inovação e Paulo Vicente alerta que as pessoas precisam pensar “fora da caixa”, pois a caixa de hoje evapora e vai precisar ser reinventada. Essa é a grande questão atual: contextualizar a crise que vem por aí e a inovação tecnológica que vai ser consequência e reação desta crise.  

E os dados apontam para uma revolução tecnológica em três bases:
– robótica e inteligência artificial;
– tecnologia da melhoria humana que envolve biotecnologia, nanotecnologia e medicina avançada e
– novas formas de energia e não apenas a de xisto, solar, eólica, etc.

Este o tripé vai alterar a forma pela qual as pessoas operam e surgirá uma nova revolução industrial e de trabalho. Muitos empregos vão deixar de existir e novos empregos serão criados,  quem estiver preparado para esta mudança vai encontrar uma oportunidade – quem não enfrentar essa revolução como oportunidade vai sofrer um impacto muito grande.

Quem está mudando?
Paulo Vicente lembra que algumas empresas já estão aproveitando isso tudo e se preparando para mudar, como a Tesla  que está investindo em novas tecnologias (como a nanotecnologia) para mudar. Porém, outras empresas ainda vivem em função do passado – algumas até de maneira bem sucedida como a Apple – mas que agora começam a sofrer o impacto com o esgotamento do modelo que ela mesma criou:

“O mesmo ocorre com a Microsoft ou mesmo o Google que foram e são muito bem sucedidas, mas a pergunta que elas precisam fazer neste momento é a ‘qual é a próxima onda?’ A menos que elas consigam encontrar uma solução bem clara para isso elas vão começar a desinflacionar e entrar em estagnação”.

O professor compara o que etá acontecendo agora com o que já aconteceu com a Olivetti e a Singer, que também eram bem sucedidas mas que em um determinado momento tiveram o seu modelo esgotado – justamente quando começam a crescer outras empresas em outras áreas.

Paulo Vicente provoca os empresários de hoje, assim como os alunos da FDC, precisam se perguntar onde eles entram e onde não entram: “Tem gente que vai crescer se aproveitando disso e tem outros que vão encolher e, havendo um limite, até desaparecer”.  

Brasil e mercados emergentes da América Latina
Sobre a nossa região no mapa mundi, o professor é realista ao analisar que não dá para generalizar a América Latina nestas mudanças como sendo 100% positivo ou 100% negativo, mas afirma que muita coisa vai ser vantajosa para a gente:

“Se vier mesmo uma crise forte com guerras regionais e territoriais, na Europa e Ásia,  vai ser bom para a América Latina como um todo, pois estamos fora do eixo do conflito principal. Por outro lado, tem a revolução tecnológica, e como a gente investe pouco em tecnologia nós avançamos mais lentamente dentro desta revolução. Mas se repararmos no passado, muitas vezes a tecnologia avança tão fortemente lá fora que a gente é atropelado pelo mundo. Uma parte das organizações brasileiras não está preparada para a internet ainda e nem para a globalização”.

 

Adapte-se ou…

O professor citou ainda as palavras de Charles Darwin: adapte-se ou morra, se referindo à adequação que faz parte das mudanças:

 

“Qual futuro tinham as empresas de máquina de escrever? Nenhum.  As empresas de filme fotográfico?  Elas morreram praticamente. Quem não se adapta é atropelado pela realidade. Veja o Uber, que rompe com o modelo tradicional de táxi e, é só o começo. Em breve teremos carro dirigido automaticamente, já está sendo testado e vai ser o fim do taxista” profetiza Paulo Vicente.        

Foto: Pixabay

Sobre a Especialização 

Os interessados em cursar a Especialização em Gestão com Ênfase em Negócios. podem fazer a inscrição até o dia 15/05. Mais informações pelo rodrigo@jvalerio.com.br com Rodrigo Ilhéu.

Sobre a JValério
A JValério é uma consultoria associada à Fundação Dom Cabral (FDC), escola de negócios especializada no desenvolvimento de executivos e empresas. A missão da JValério é contribuir para o desenvolvimento das empresas, dos executivos e das pessoas e ser a primeira opção nas soluções empresariais para clientes e parceiros. A JValério busca um crescimento sustentável e atua em vários segmentos, com empresas com as mais diversas características.


JValério – Gestão da Empresa Familiar
Endereço: Praça São Paulo da Cruz, 50 Cj 1507, Cabral, Curitiba.
http://www.jvalerio.com.br/

Fonte: KAKOI Comunicação
www.kakoi.com.br

 

Previous post

Prepare-se: Setor de educação é a tendência do mercado

Next post

WZ Hotel Jardins contrata novo Supervisor de Eventos para atrair público corporativo

Kakoi Comunicação

Kakoi Comunicação

A Kakoi Comunicação é uma empresa nova que nasce com o objetivo de proporcionar aos clientes os melhores resultados com ações simples, porém focadas em nosso compromisso de abranger qualidade X resultado.

Na Kakoi a necessidade do cliente é uma necessidade nossa. Contamos com equipe especializada em diferentes áreas para garantir a pluralidade dos projetos abrangendo a maior frente possível de comunicação.