Earl Thomas e Kiko Jozzolino no palco do Catuaí Londrina (foto: Roberto Francisco/Divulgação)

 

Earl Thomas soltou a voz poderosa no palco instalado na praça de eventos do Catuaí Londrina na noite de terça-feira (21). Foi o encerramento – em grande estilo – do 8º Festival Blues de Londrina. A plateia embarcou no ritmo do bluesman norte-americano, que distribuiu autógrafos, posou para selfies e encantou o público com seu grande carisma no palco e modo peculiar de cantar, sempre sorrindo.

Um dos pontos altos da apresentação foi a interpretação de um hino gospel, em homenagem, nas palavras do músico, à mãe, cantora gospel, e ao pai, um bluesman do Tennesse. O paulista Igor Prado também encantou o público com seu virtuosismo na guitarra, ao lado dos londrinenses do Acústico Blues Trio – Kiko Jozzolino, Vinicius Zanin e Elieser Botelho.

A apresentação teve uma comovente homenagem ao grande blueseiro norte-americano JJ Jackson, que morreu no mês passado. Ele foi destaque em outras edições do festival londrinense, tendo cantado no palco do Shopping. O Acústico Blues Trio saudou o “mestre do blues” e interpretou a clássica canção “Easy”.

Renato Santos, fã incondicional de blues, adorou o show e disse que espera ansiosamente o próximo Festival. “É uma oportunidade incrível, única, de ouvir e ver de perto grandes nomes do blues atual. Cantei junto, fiz selfie com o Earl Thomas, aproveitei cada momento”, afirmou.

As amigas Ligia Machado e Ana Maria Almeida Prado não perderam nenhuma apresentação do Festival. Estiveram no Bar Valentino, às margens do Lago Igapó e na Concha Acústica, além de vibrarem com Earl Thomas, Igor Prado e o Acústico Blues Trio no Shopping. “Cada espaço tem um astral diferente, mas todos os espetáculos foram incríveis”, disse Ligia.

“Sem palavras!”. Esta foi a resposta do professor Guilherme Schnekenberg para traduzir sua emoção após ver as apresentações que tinham acabado de acontecer. “Eu também fui ao show de abertura do festival, que estava tão incrível como hoje. Mas hoje foi mais especial pela presença de um artista estrangeiro desta expressão aqui”, afirmou. Ele disse que passou a conhecer mais a fundo o gênero musical justamente por frequentar as edições do festival.

A vendedora Patrícia Almeida acompanhou animada o show do começo ao fim e foi só elogios às apresentações e ao espaço que abrigou a estrutura. “Acompanhei os outros shows do festival e não podia deixar de vir ao encerramento. Tem que ter mais eventos assim por aqui! A galera de Londrina gosta de música boa, como blues e rock”.

Houve também quem se sentisse em casa durante o espetáculo. O músico Eduardo Molina ainda estava emocionado, com o show e com a homenagem feita ao ícone JJ Jackson. “Para mim foi um grande momento. O JJ é uma referência pra nós, tanto como um grande vocalista quanto como um grande professor do gênero. Ele se apresentou várias vezes  aqui na cidade. É o cara mais londrinense do blues mundial!” brincou Eduardo.

Molina prestigiou os outros shows do festival e disse que é muito bom ter a oportunidade de assistir em nossa cidade grandes nomes do blues, como Earl Thomas e o próprio JJ. “Como disse o Kiko (Jozzolino), iremos embora muito mais felizes do que estávamos quando chegamos”, completou o músico.

O Catuaí Londrina é patrocinador do Festival há quatro anos e recebe, em cada edição, a apresentação de um grande nome do blues em seu palco. O show é gratuito e marca as homenagens no mês dedicado aos pais.

Fotos: Roberto Francisco/Divulgação

Previous post

18ª Edição do Prêmio VEJA Comer & Beber Curitiba traz novidades

Next post

Papelada na contabilidade do seu negócio? Isso é coisa do passado!    

Página 1 Comunicação

Página 1 Comunicação