Exposição  traz 90 modelos de vários países e épocas, do aparelho movido a manivela ao smartphone, com visitação gratuita até 20 de abril

Na era dos smartphones e da hipercomunicação, é quase impossível imaginar como era viver em um mundo no qual as únicas formas de falar com outras pessoas eram pessoalmente ou por carta. Criado em 1876 por Alexander Graham Bell, engenheiro e cientista escocês que morava nos Estados Unidos, o telefone mudou a história das comunicações no mundo. Os 143 anos desta incrível invenção são o tema da exposição “Uma Evolução Chamada Telefone”, que vai até 20 de abril no Shopping Center 3.

A mostra, gratuita, traz a trajetória do aparelho no Brasil e no mundo. Estão expostas 90 peças criadas de 1900 a 2010 e que dão uma ideia clara do percurso das telecomunicações, desde que Grahan Bell fez a primeira transmissão de voz via sinais elétricos, na Filadélfia. A ligação foi entre um cômodo e outro, com o inventor pronunciando a frase “Sr. Watson, venha, preciso do senhor” a seu assistente.

Se hoje um telefone celular pesa poucos gramas e funciona como um computador, com todas as possibilidades da internet à mão, há mais de 100 anos as coisas eram um pouco mais difíceis. Qualquer ligação precisava ser realizada por uma telefonista e, uma vez completada, as duas pessoas precisavam se revezar entre falar e ouvir, pois não era possível fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Falar ao telefone também era uma atividade cara antes da popularização das linhas e da multiplicação das companhias telefônicas.

Entre os modelos que integram a exposição estão o Castiçal, do começo do século XX, literalmente movido a manivela; o Tanque, preto e pesado e que remetia aos veículos de guerra; o Clássico, de disco criado pela Western Eletric, que perdurou por décadas; e também marcos do design, como o Ericofon ou “telefone cobra”, criado pela marca sueca Ericsson; e o italiano Grillo, o primeiro modelo “flip”, a grande novidade futurista dos anos 1960.

Estão presentes também os celulares, que começaram a chegar ao mercado na década de 1980 e provocaram a segunda revolução nas telecomunicações, ao permitir que, de posse de um aparelho móvel, qualquer pessoa pudesse se comunicar com outra a qualquer momento e de qualquer lugar.

Curiosidades

– No mesmo ano em que apresentou sua invenção, Grahan Bell solicitou a patente do invento que chamou de “telefone elétrico falante”.

– Após patentear sua invenção, Bell apresentou o telefone numa exposição na Filadélfia; o imperador do Brasil, Dom Pedro II, estava no evento e ficou tão entusiasmado que encomendou 100 aparelhos para o País.

– Em 1984 a Motorola liberou ao público o que seria o primeiro telefone móvel, o DynaTAC, que media 33cm de altura, pesava quase 1kg e tinha capacidade de memorizar até 30 números.

– Os telefones de uso público, os populares orelhões, foram uma estratégia das empresas de telefonia que se formaram no final do século XX, para popularizar o serviço no País. Comparando às filas que se formavam para o seu uso antes da popularização da telefonia celular, hoje seu uso é muito baixo, mas esses “dinossauros” ainda têm adeptos e utilidade em momentos de emergência.

Exposição “Uma Evolução Chamada Telefone” no Shopping Center 3

Local: Lounge Piso Jardins

Data: até 20 de abril

Evento gratuito

Shopping Center 3: Avenida Paulista, 2064 – Cerqueira César

Tel: (11) 3285-2458, www.shoppingcenter3.com.br

Mais informações à imprensa: CLARA Comunicação

Tel.:(11) 3667.9136, 3667.4065

E-mail: clara@claracomunicacao.com.br

Previous post

Veganismo ganha espaço na Vila Verde Catuaí

Next post

Os medos infantis no palco do Clubinho

CLARA Comunicação

CLARA Comunicação