Claudio Oliveira, orientador educacional do Colégio Humboldt, explica como as famílias podem orientar jovens em relação à segurança digital

Acompanhar as atividades dos adolescentes nos smartphones e outros dispositivos e estabelecer horários de navegação são dicas imprescindíveis para o uso seguro e saudável na web, evitando exposição excessiva e riscos à vida offline.

“Os pais podem proteger os filhos dos perigos da internet estando atentos ao tempo do uso e o que eles buscam na web, estipulando as horas que passam online e outras atividades”, diz Claudio Oliveira, orientador educacional do Ensino Médio do Colégio Humboldt, – instituição bilíngue e multicultural (português/alemão) localizada em Interlagos (SP). Além disso, as famílias também podem incentivar outras alternativas de lazer para o jovem. “É importante que o adolescente não fique só na internet, ele precisa fazer exercícios, divertir-se de outra forma, trocar o enclausurado por passeios ao ar livre, encontrar os amigos e familiares”.

Outra dica é mostrar interesse pelo conteúdo que os filhos têm contato na rede e acompanhar de forma natural o que estão acessando. “A aproximação, como por exemplo, “me ensina a usar tal ferramenta” ou “vamos jogar juntos”, também são estratégias para que possam se inteirar da presença digital do filho nas redes”, avalia.

O orientador do Colégio Humboldt também acredita que pais podem identificar sinais de que o filho só está na internet. “Muitos jovens buscam refúgio na tecnologia para não se expor. Mas, por trás de uma tela de computador, há uma pessoa”, enfatiza. Para ele, as relações com encontros reais para que a conexão não seja somente virtual é um bom caminho para seu bem-estar e desenvolvimento. “Pais podem incentivar o jovem a inserir-se nos grupos de amigos, de adolescentes da mesma idade e que podem compartilhar vivências próximas. Talvez, se a persistência do excessivo isolamento continuar, a orientação é procurar um psicólogo(a) para que o adolescente possa falar mais sobre a causa desse comportamento”, completa.

Papel da escola

O orientador explica que o Colégio Humboldt ensina o uso adequado de chromebooks em sala de aula a partir do Ensino Fundamental II. “É saudável que o colégio use a internet como recurso pedagógico. Pais acompanham o que seus filhos pesquisam e estudam por meio do recurso da plataforma Google. Isso é um bom uso”, salienta Claudio.

Outro ponto abordado em sala é como as redes sociais podem influenciar na autoestima dos jovens. “As redes ajudam a criar um ideal de felicidade, como viagens e festas. Tentamos desconstruir isso, conduzindo os alunos a analisar criticamente o modelo falso de felicidade que as redes sociais criam, levando-os a refletir que a vida real é muito mais que os modelos compartilhados nas mídias”, finaliza o orientador educacional.

Previous post

Decoração de Toy Story tem atividades gratuitas e espaços instagramáveis

Next post

Leonice da Paz recebe Medalha do Mérito Legislativo na Câmara dos Deputados

Communica Brasil

Communica Brasil

Fundada com o objetivo de oferecer ao mercado uma empresa criativa, eficiente e inovadora de comunicação integrada e de relações públicas, atende a clientes das mais diversificadas áreas de atuação por meio de projetos concebidos sob medida e executados com determinação a fim de conquistar resultados diretos para o negócio do cliente. Para algumas empresas, somos uma extensão do departamento de marketing e, para outras, executamos projetos pontuais. Não importa o serviço necessário, contamos com uma equipe competente, de variados segmentos da comunicação, para oferecemos soluções completas e com um alto nível de desempenho em nosso campo de atuação, sempre comprometidos com a qualidade, eficiência e resultados.