fried potatoes in frying pan on grey table, top view

Quando o assunto é óleo vegetal é sempre bom tomar cuidado com o que se compra. O alto valor do produto, que teve uma inflação que passou da casa dos 100% recentemente, aumentou a procura por opções mais baratas e muitas empresas acabam burlando leis e a fiscalização para entregar óleo vegetal sem condições de uso.

No final do ano passado, um caminhoneiro de 45 anos acabou detido na BR-277, na Região Metropolitana de Curitiba, transportando ilegalmente 47 toneladas de óleo vegetal. O que chamou a atenção das autoridades é que toda a carga estava em tanques exclusivos para produtos químicos derivados de petróleo – sendo que produtos alimentícios só podem ser transportados com certificação emitida pelo INMETRO para este produto.

“Essas ações são importantes para coibir criminosos que atentam contra a saúde pública. Em fevereiro, no Ceará, tivemos o fechamento de uma empresa clandestina de coleta e armazenagem de óleo vegetal que revendia o material para uma fábrica de sabão. A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) constatou que esta empresa nem possuía Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), e muito menos alvará de funcionamento ou licença ambiental” alerta Vitor Dalcin, Diretor Executivo da Ambiental Santos.

Óleo vegetal e as quadrilhas
Essas ocorrências só reforçam o risco que os consumidores estão expostos diariamente. O óleo usado é transportado de maneira criminosa em veículos sem preparo para, muitas vezes, serem filtrados e revendidos como óleo novo.

Vitor explica que no Brasil há casos de empresas não autorizadas a trabalhar com reciclagem que roubam óleo de cozinha de restaurantes e lanchonetes:

“São quadrilhas organizadas, que se passam por empresa autorizada para coleta de óleo. Ao entrarem nas cozinhas de bares e restaurantes, praticamente se aproveitam de um momento de distração e levam tudo o que conseguem. Muitas vezes, essas visitas acontecem em momento de grande movimentação.”

Para evitar problemas, basta seguir as orientações de sempre:
– Não deixe que entre em seu estabelecimento pessoas não autorizadas
– Em momentos de grande movimentação fique atento com pessoas estranhas perto de onde você armazena óleo de cozinha,
– Deixe todo o óleo de cozinha que está armazenado protegido em uma ala do restaurante.
– Peça sempre a identificação de quem se apresentar como coletor de óleo usado e confirme por telefone com a empresa se eles são, de fato, funcionários preparados e se a empresa para a qual trabalham tem as certificações necessárias.


Previous post

Work Package, a terceirização nas empresas evoluiu 

Next post

Dia dos Pais terá programação especial no Terras Altas Resort & Convention Center

Kakoi Comunicação

Kakoi Comunicação

A Kakoi Comunicação é uma empresa nova que nasce com o objetivo de proporcionar aos clientes os melhores resultados com ações simples, porém focadas em nosso compromisso de abranger qualidade X resultado.

Na Kakoi a necessidade do cliente é uma necessidade nossa. Contamos com equipe especializada em diferentes áreas para garantir a pluralidade dos projetos abrangendo a maior frente possível de comunicação.