Com o avanço da pandemia, as pesquisas por soluções contra a COVID-19  estão em todas as partes. Desde as vacinas até tratamentos, a corrida para barrar a pandemia envolve também a criação de equipamentos. Por meio de tecnologia de ponta, pesquisadores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) criaram o CoronaVap, equipamento que filtra o ar contaminado de ambientes internos com circulação de pessoas. Desenvolvido no Laboratório de Fabricação Eletrônica (EFAB) do Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN) do campus Curitiba, o sistema, além de realizar a filtragem do ar destes ambientes, também funciona como sanitizador de superfícies.

Coordenado pelo professor Fernando Castaldo, do DAELN, o projeto utiliza descargas elétricas e atração eletrostática das partículas que recebem estas cargas para eliminar o vírus. A descarga elétrica é combinada com injeção de água atomizada em uma câmara de ionização e simula os mesmos processos que ocorrem em tempestades que exterminam patógenos por um mecanismo denominado peroxidação, eliminando desde poeira, aerossóis e pólen até bactérias e o foco principal do projeto: o vírus.

“Este é o grande diferencial do CoronaVap. A produção dessas cargas ocorre em presença de injeção de água atomizada, o que produz uma reação similar às descargas atmosféricas em dias chuvosos, causando a exterminação de vírus e bactérias. Na sequência, um campo  elétrico interno arrasta esses corpos para a parede interior da máquina e as aprisiona em uma lâmina de água circulante. O ar desinfectado passa ainda por um filtro antes de ser devolvido ao ambiente”, explica o professor.

Projeto começou para ajudar a sociedade
Castaldo explica que o projeto nasceu logo no início da pandemia, quando a UTFPR se mobilizou em busca de soluções que contribuíssem para a redução da disseminação da doença, sobressaindo-se na proposição de projetos de desinfecção na tentativa de mitigar ou reduzir o contágio:

“A UTFPR bancou, inclusive, com recursos próprios, algumas iniciativas nesse sentido e, em seguida, o MEC aportou R$1 milhão para a continuidade destes e a proposição de outros trabalhos” lembrou o professor.

Para quais tipos de ambientes o CoronaVap foi criado?
O uso é recomendado em locais com pouca ventilação e grande circulação de pessoas, como recepções hospitalares, clínicas, UPAs, supermercados e farmácias.

Especialistas atestam a eficáciaO equipamento passou por testes controlados realizados nos laboratórios da própria instituição, tendo alcançado resultados para desinfecção bacteriológica superiores a 99%, resultado que já garante excelentes propriedades sanitizantes, de acordo com estudos publicados na área:

“Estão previstos ainda testes em laboratórios certificados para obtenção das necessárias homologações para uso comercial, sobretudo com base em critérios da ANVISA. O fato é que o equipamento funciona muito bem e, em breve, estará presente em diversos ambientes.”

O equipamento pode ser aprimorado e produzido para disponibilização ao mercado a partir de cooperações com o setor privado. A UTFPR direciona as ações necessárias para a efetivação de parcerias. Os termos do licenciamento podem ser ajustados caso a caso e os interessados podem entrar em contato com as respectivas direções de campus ou universidade para mais informações.

Sobre a UTFPRA Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) é a primeira e única universidade assim denominada no Brasil e, por isso, tem uma história um pouco diferente das outras universidades. A UTFPR tem como missão desenvolver a educação tecnológica de excelência por meio do ensino, pesquisa e extensão, interagindo de forma ética, sustentável, produtiva e inovadora com a comunidade para o avanço do conhecimento e da sociedade. E tem como visão ser modelo educacional de desenvolvimento social e referência na área tecnológica.

Para mais informações acesse: https://www.utfpr.edu.br/noticias/curitiba

CoronaVap, coronavirus, pandemia , utfpr, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), cefet,  ar desinfectado,  Laboratório de Fabricação Eletrônica (EFAB), Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN), Fernando Castaldo, soluções contra a covid, tecnologia, inovação tecnológica, ambientes fechados coronavirus 

Previous post

Chalés da Cuesta: um refúgio no interior de São Paulo

Next post

Port Louis reabre suas portas na praia de Tabatinga

Kakoi Comunicação

Kakoi Comunicação

A Kakoi Comunicação é uma empresa nova que nasce com o objetivo de proporcionar aos clientes os melhores resultados com ações simples, porém focadas em nosso compromisso de abranger qualidade X resultado.

Na Kakoi a necessidade do cliente é uma necessidade nossa. Contamos com equipe especializada em diferentes áreas para garantir a pluralidade dos projetos abrangendo a maior frente possível de comunicação.